Águas pela Paz: Seminário será realizado em janeiro de 2018

aguaspelapaz-logo_fundo_claroAssim como o movimento fluido das águas, o II Seminário Internacional Água e Transdisciplinaridade – Águas pela Paz também se movimentou em seu fluxo e remarcou a data de realização, passando de outubro de 2017 para 11 e 12 de janeiro de 2018, com intuito de somar, incluir e ampliar sua vazão. O evento segue sua rota como preparatório para o 8º Fórum Mundial da Água, buscando qualificar o debate para a construção de uma relação cooperativa e sustentável com a água.

A iniciativa surgiu em 2011 com a realização do “I Seminário Internacional Água e Transdisciplinaridade – Por uma Ecologia dos Saberes”, promovido pelo Centro de Estudo Transdisciplinar da Água. O Águas pela Paz tem como foco a discussão a respeito da cooperação e o compartilhamento da água entre povos e nações, sob a égide da ética do cuidado e da cultura da paz. Promovido pelo CIRAT em conjunto com o movimento Awaken Love, Instituto Espinhaço, Universidade de Brasília (UnB), Universidade da Paz (UniPaz) e Secretaria do Meio Ambiente do Distrito Federal, o Seminário trata da compreensão da água como bem público e reafirma o direito humano e das comunidades ao acesso deste elemento com qualidade para consumo.

A programação traz palestrantes de diversas nacionalidades e áreas do conhecimento. Entre eles, o líder espiritual e humanitário brasileiro Sri Prem Baba; Dom Leonardo Steiner; Monge Sato; Harry Jabs; Beverly Rubik; e Henricus Petrus Josephus Van Schaijk.

Nesta segunda edição do Seminário, o objetivo é contribuir na promoção da ética do cuidado e da cultura de paz nas relações de
compartilhamento de água entre os povos e nações. Educação, arte e cultura; Saberes e tradições; Direitos da natureza, pesquisa e
inovação na perspectiva transdisciplinar; Gestão de territórios e mediação de conflitos são os temas transversais a serem explorados em painéis durante o evento..

Nos últimos 30 anos, os documentos internacionais norteadores dos valores éticos que definem hoje sustentabilidade ambiental – consequentemente, sustentabilidade hídrica – baseiam-se na Carta da Terra, na Agenda 21 e nas Convenções Internacionais. Mais recentemente, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS são importantes referências para o direcionamento dos debates no Águas pela Paz.

A Carta da Terra, em seus segundo e terceiro princípios, objetiva garantir a integridade ecológica bem como a justiça social e econômica, abordando a necessidade de se prevenir o dano ao meio ambiente como o melhor método de proteção ambiental, e quando o conhecimento para isso for limitado, que se assuma uma postura de precaução. Ela também propõe que se adote padrões de produção, consumo e reprodução que protejam as capacidades regenerativas da Terra, os direitos humanos e o bem-estar comunitário, bem como que se avance no estudo da sustentabilidade ecológica e se promova a troca aberta e ampla da aplicação do conhecimento adquirido.

No espaço de reflexão proposto pelo Seminário Águas pela Paz, tais contribuições serão abordadas na perspectiva da relação cultural e espiritual com a água, indo além da concepção que a reduz a um mero recurso material. A discussão será realizada em perspectiva internacional, intercultural, intergeracional, científica e espiritual, com base na solidariedade, no respeito aos valores e direitos humanos universais, à justiça social e aos direitos da natureza. Oficinas diversas e práticas de corporeidade a exemplo de meditação e Tai-Chi- Chuan farão parte do evento e irão compor a visão transdisciplinar da água.

* Notícia atualizada em 06 de dezembro de 2017

Categorias: Eventos, Fórum Mundial da Água 2018, II Seminário Internacional de Água e Transdisciplinaridade - Águas pela Paz, II Seminário Internacional de Água e Transdisciplinaridade - Águas pela Paz, Notícias